Menus

quinta-feira, 23 de março de 2017


Em fevereiro, quando voltamos à fazenda, as chuvas estavam intensas e constantes. Em quinze dias, choveu 176 milímetros, o equivalente a mais da metade da media normal para o mês.  Na chegada à fazenda Limeira, o caminhão que seguia à nossa frente patinava na pista .







Mas Igor não tinha queixa da chuvas.  As pastagens em todos os retiros estavam bem verdes e vigorosas. Prontas para receber os lotes de fêmeas que estavam passando pela estação de monta 









  


Na primeira visita à Pecuária Balestra conhecemos os cincos retiros dedicados à pecuária de corte: Água Vermelha, Limeira, São Pedro, Manacá e Boa Esperança. Vamos apresentar as categorias das quais falaremos em detalhes nas próximas edições e aqui no blog também. 

A recria das fêmeas  ocupa módulos de pastagens em três fazendas: Limeira, São Pedro e Manacá, que, juntas, têm 183,6 ha de pastos extensivos e 43 ha de intensivos.São 422 novilhas  que são distribuídas  nos módulos de rotacionado durante as águas  e em pastos extensivos com proteinado durante a seca.A intenção de Igor é aumentar a pressão genética e manter na fazenda somente  as novilhas precoces que serão desafiadas aos 15 meses. O cerco já está apertando. Este ano as convencionais terão a última chance: aquelas que não emprenharem durante a estação de monta, serão engordadas para o abate. Somente as precoces que ficarem vazias este ano terão uma nova chance, que será a última, em 2018.





As vacas com bezerro ao pé ficam na Àgua Vermelha.  Foram as primeiras a estrearem os pastos rotacionados na safra 2015/2015 e  apresentaram as maiores taxa de prenhez .  
Após a desmama da cria, essas fêmeas lambem sal ureado núcleo (sal branco e ureia, se necessário é incluido o milho para aumentar a palatabilidade e estimular o consumo)  no período seco. Em meados de outubro começa a transição para o sal reprodução - sal com 90% de fósforo para começar a prepará-la para a reprodução na próxima estação.






Já os machos, após o “sequestro” na Fazenda Água Vermelha, vão para a Boa Esperança, onde são terminados a pasto, com suplementação no cocho. O nível de fornecimento varia conforme o peso dos animais e a qualidade do capim. Essa propriedade possui 32 ha de mombaça, divididos em 12 piquetes de 2,6 ha cada, que atualmente alojam 308 garrotes. Trata-se de uma área plana, de solos já corrigidos e adubados, o que garante alta produção de forragem e lotação superior a 6 UA/ha nas águas. Segundo Igor, nem todas as áreas do projeto podem ser intensificadas.